posso tomar topiramato com

Veja como o Cloridrato de Amitriptilina serve para Enxaqueca, Insônia, Cefaleia e Enurese Noturna:

Cloridrato de Amitriptilina; trata-se de medicamento genérico indicado para tratar alguns tipos de depressão do chamado espectro monopolar, ou seja, quadros onde há somente eventos de depressão, diferentemente do espectro bipolar onde há eventos de depressão e euforia sistematicamente.

Então, para que serve o medicamento? Somente para tratar a depressão? Não. A Amitriptilina também trata da enurese noturna (escape involuntário da urina durante a noite). A medicação apresenta propriedades tanto ansiolíticas, como sedativas.

Esta é uma medicação também utilizada para enxaqueca. Sobretudo no tratamento preventivo. Entretanto, para consegui-lo é preciso apresentar a receita médica à farmácia que é obrigada a reter uma das vias.

Apresentação:

Cloridrato de Amitriptilina serve para tratar adultos e crianças com 11 anos ou mais. Há comprimidos revestidos tanto na dosagem de 25 ou 75 mg. A embalagem vem com 20 comprimidos.

A composição do medicamento é: Cloridrato de Amitriptilina 25mg ou 75mg mais seus excipientes, inclusive lactose. O medicamento pode ser encontrado em farmácias com vários nomes comerciais, como: Amytril, Neurotrypt, Neo Amitriptilin e Trisomatol.

Como funciona:

Esta é uma medicação para tratamento da depressão e enurese administrada por via oral. As suas propriedades agem no Sistema Nervoso Central originando sensação de serenidade e bem-estar, ajudando também na terapêutica da dor neurogênica grave. Amitriptilina também poderá ser utilizada como agente sedativo, não exatamente para dormir, mas há função sedativa.

A ação antidepressiva tende a se manifestar até o quarto dia, levando até um mês para agir por completo.

mecanismo de ação

Dosagem para depressão:

• Adultos – A dose para adultos inicialmente é de 75 mg por dia fracionadas, mas pode-se aumentar a dose até que chegue a 150 mg por dia.
Estes aumentos são, geralmente, feitos nas doses administradas no começo da noite ou quando for dormir. Seu efeito sedativo se manifesta rapidamente.
Há uma dosagem alternativa para tratamento que se inicia com a dose de 50mg a 100 mg ao deitar, mas pode-se aumentar a dose de 25 mg a 50 mg por noite até chegar a 150 mg (dose total diária).

• Adultos (manutenção) – Para a manutenção em adultos faz-se uso de 50 mg a 100 mg por dia, ministradas à noite em dose única.
Depois de uma melhora, reduz-se até uma dose necessária mínima. É aconselhado continuar a medicação por três ou mais meses para reduzir as possibilidades de novos episódios de depressão.
Em pacientes hospitalizados a dose se inicia com 100 mg por dia, aumentadas gradualmente, se necessário, até 200 mg por dia. Determinados pacientes podem chegar a 300 mg por dia.

• Adolescentes/Idosos – Estes pacientes, normalmente, não toleram bem este tipo de medicação, assim, doses menores de 10 mg a 50 mg por dia são mais apropriadas. A administração é feita de forma fragmentada ou dose única por dia, ao dormir. Para manutenção, recomenda-se a metade da dose comum.

• Crianças – Não se aconselha usar esta medicação em crianças com menos de 12 anos para tratar a depressão.

Dosagem para enurese noturna:

• Crianças de 6 a 10 anos – As doses administradas nesta faixa-etária são de 10 mg a 20 mg antes de dormir somente sobre orientação médica.

• Crianças com 11 anos ou mais – As doses administradas nesta faixa-etária são de 25 mg a 50 mg antes de dormir.

A maioria destes pacientes respondem bem ao tratamento e logo nos primeiros dias já se pode observar a melhora que tende a ser crescente durante o tratamento. É comum que se prescreva um tratamento continuado até que o controle seja estabelecido.

Note que a dosagem recomendada para tratar a enurese é baixa em comparação à utilizada para tratar a depressão. Evidentemente que o ajuste das doses deve ser feito pelo médico mediante a resposta vinda de cada paciente.

Uso correto:

efeitos colaterais a longo prazo

Para que os resultados com o tratamento sejam o esperado, tome a medicação diariamente, respeitando as orientações em relação à frequência das doses. Informe logo ao médico sobre eventuais alterações que possa sentir, em alguns casos pode haver um ajuste nas doses.

Jamais interrompa seu tratamento sem conhecimento do médico e siga corretamente todas as recomendações até o final do tratamento. Lembre-se de que este é um medicamento que não deverá ser partido ou mastigado.

Não tomou o remédio no horário:

Caso você tenha se esquecido de tomar o medicamento no horário correto, administre a dose subsequente normalmente, ou seja, na hora de costume. Não é indicado somar as duas doses e tomá-las juntas! Duplicar a dosagem pode ser perigoso e prejudicial. Procure orientação médica caso haja dúvidas a este respeito.

Contraindicações:

O medicamento é contraindicado aos pacientes alérgicos ao princípio ativo ou a qualquer um dos elementos da fórmula. Também é desaconselhado o uso caso o paciente esteja recebendo tratamento para depressão com outros medicamentos inibidores da chamada monoaminooxidase (IMAO); ou se estiver se tratando com Cisaprida; Pacientes que sofreram infarto do coração nos últimos 30 dias também são desaconselhados a se tratarem com este medicamento.

Precauções:

Como já mencionado, a Amitriptilina não deve ser administrada em crianças com menos de 12 anos para tratar a depressão, apenas enurese.

serve dor muscular

Se você apresenta ou já apresentou alergias; problemas hepáticos, distúrbios mentais; complicações urinárias, cardíacas ou hormonais; se já teve convulsões ou glaucoma deve avisar ao médico.

Esta é uma medicação que pode diminuir a atenção em alguns pacientes, portanto, dirigir ou operar máquinas pode ser perigoso.

Aqueles pacientes que tomam a medicação e são portadores de hipertireoidismo ou, que estejam tomando hormônios relacionados à tireoide devem ser avaliados e monitorados cuidadosamente.

Pacientes com problemas psiquiátricos como a esquizofrenia ou paranoia, podem apresentar sintomas ainda mais exacerbados pelo uso da Amitriptilina.

O uso da medicação também deve ser atentamente monitorado em pacientes que apresentam problemas no fígado.

Se estiver programada uma intervenção cirúrgica é prudente interromper a medicação vários dias antes da cirurgia não urgente. Pacientes que fazem uso destes antidepressivos podem potencializar seus efeitos fármacos vasopressores, ou seja, potencializar a ação característica destes medicamentos que é o aumento da pressão arterial. Portanto, a suspensão da medicação é aconselhada.

Interações medicamentosas:

Na maioria dos casos esta medicação pode interagir com outras, mas há exceções. Certos medicamentos para tratar algumas condições psiquiátricas, depressão, úlceras, hipertensão, irregularidade dos batimentos cardíacos ou uso abusivo de álcool podem ter a função comprometida com o uso concomitante da Amitriptilina.

Além disso, há advertências expressas em relação ao o uso desta medicação com álcool e alguns medicamentos para alívio da dor, alguns sedativos e medicação para regularizar o sono.

amitriptilina bula

Alerta-se para a administração da medicação juntamente com o Dissulfiram. Esta interação pode provocar delírio.
O médico saberá informar todos os medicamentos que não devem ser usados com a Amitriptilina.

Gravidez e lactação:

Se estiver ou suspeitar de gravidez informe ao médico para que ele avalie os benefícios e riscos do tratamento. As grávidas precisam de orientação médica específica.

Não utilize a medicação se estiver amamentando, as substâncias que chegam ao leite podem causar danos ao recém-nascido.

Efeitos colaterais:

Como qualquer outro medicamento pode haver efeitos indesejados. As reações adversas mais comuns sentidas por pacientes em tratamento são: boca seca, alteração no paladar , tontura e mais apetite. Muitos pacientes relatam que o remédio dá sono e que também engorda. De fato, sonolência e ganho de peso estão entre os efeitos adversos do medicamento.

Outras reações como visão turva, problemas de foco e concentração, além de constipação também podem ocorrer. Podem acontecer também reações como urticária, coceira, erupções cutâneas e inchaço na face ou língua. Infelizmente, tais reações podem ocasionar dificuldade de respirar ou engolir. Avise seu médico caso ocorram estes sintomas.
Algumas das reações adversas podem ser graves. Caso apresente quaisquer dos sintomas a seguir informe ao médico, para receber cuidados imediatamente. São eles:

• Dormência;

• Fraqueza repentina;

• Problema de visão;

• Problemas de fala;

• Dor de cabeça repentina;

• Confusão mental;

amytril 10 mg engorda

• Sensação de desmaio;

• Alucinações;

• Desequilíbrio;

• Movimentos musculares involuntários.

Estes são efeitos colaterais que podem assustar, portanto, se você já está tomando ou vai começar um tratamento com Amitriptilina fique atento, pois, alguns sinais podem indicar a necessidade de parar com a medicação.
Entretanto, não interrompa seu tratamento, tampouco diminua a dose indicada sem que o seu médico saiba. A repentina interrupção do tratamento pode causar dores de cabeça severa, enjoo e fadiga. Sabe-se também que a gradual redução das doses pode produz sintomas passageiros que incluem inquietação, problemas do sono e irritabilidade.

Superdosagem:

50mg amytril

Caso ingira muito mais medicamento do que a dosagem receitada, avise ao médico o quanto antes, assim, as providências e cuidados serão logo tomados. É prudente levar a embalagem e a bula da medicação, se possível.

Armazenamento:

A medicação deve ser mantida em temperatura entre 15 e 30 graus e protegida da luz e da umidade. Respeite a data de validade impressa na embalagem e jamais use um medicamento com o prazo de validade vencido. E acostume-se a guardar o medicamento na embalagem original.

Antes de utilizá-lo observe o seu medicamento e, caso note alguma mudança em seu aspecto procure um farmacêutico para se certificar da possibilidade de consumi-lo.

Preço:

É possível encontrar a Amitriptilina 25 mg, contendo 30 comprimidos (medicamento genérico) por aproximadamente R$15,00.